quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Nem todas as flores têm a mesma sorte...

Umas enfeitam a vida e outras enfeitam a morte...

É assim que eu tenho me sentido grande parte da minha vida, como se estivesse enfeitando a morte. Mas eu cansei dessa função. Da próxima vez que eu enfeitar a morte, será a última.

domingo, 5 de setembro de 2010

Eu não sei como consegui não matar você

Você. Cíntia Cristina de Oliveira Lira. Eu não sei como consigo não te matar.
Se todo mundo gosta tanto de mim, por que eu não sinto esse carinho? Por que é tão difícil o simples fato de existir?
Eu quero deixar de existir. Eu quero morrer. De forma breve... Mas dolorida. Eu quero dor.

sábado, 4 de setembro de 2010

Ode para Giulia

Admiro a estrela que existe em teu olhar
Pois esta nem a morte tem coragem de apagar.
Em meio à escuridão sou iluminada por teus olhos
E de seu corpo emana tanto calor
Que o frio não me acolhe.
São teias de seda teus cabelos,
E teus lábios, ouso imaginar que são doces
Como mel jamais fabricado pelas abelhas.
Tudo em você é perfeito,
Tudo em você é harmonia
Deusa de todas as Deusas!
Ai de mim! Passar a eternidade
Em tua graciosa presença
Minha amada, ser de onisciência!